terça-feira, 8 de setembro de 2009

Ásanas e a respiração


Respirar é viver. Então é de máxima importância termos consciência da nossa respiração. Há pessoas que simplesmente “esquecem-se” de respirar, perdendo muito com isso. Não vemos o ar que respiramos, apenas o sentimos, e por ser um ato automático, não damos muita importância ao mesmo. As pessoas pouco sabem da energia poderosa que uma respiração bem feita pode trazer ao nosso organismo como um todo. É necessário termos consciência do PRANA, que é a energia que entra e sai do nosso corpo através da respiração. O ar é um elemento sutil e controla todos os movimentos do nosso corpo e da nossa mente. A respiração estando equilibrada produz-se uma forma mais elevada de Prana. Quando conseguimos manter o Apana (energia que controla os movimentos descendentes do nosso corpo) e o Prana na região do umbigo conseguimos vencer muitas doenças. No Yoga o Mulabanda (contração das regiões anal e uretral) permite essa concentração de energia e promove benefícios orgânicos e energéticos.
A respiração é como um músculo. Temos que gradualmente ir aumentando a força da respiração. A mente e a respiração tem uma conexão muito forte e para acalmar as emoções, basta acalmarmos a nossa respiração. Não é qualquer um que consegue fazer práticas avançadas de Pranayamas como os hindus yogues, por isso é importante praticar para adquirir um domínio do próprio corpo e mente. A respiração é um fator essencial nas práticas de Yoga e no dia a dia. Com Pranayamas podemos purificar e curar o nosso corpo e mente. Uma quantidade insuficiente de oxigênio significa: eliminação imperfeita e saúde imperfeita.
A respiração correta feita juntamente com ásanas gera uma massagem interna no corpo aumentando o espaço e proporcionando a oxigenação das células. Os pranayamas (formas de respiração) criam uma consciência corporal sutil muito benéfica para o equilíbrio da mente, corpo e espírito. Há ásanas que permitem o uso de pranayamas e outros se utilizam somente de uma respiração direcionada. Como saber qual a melhor respiração para aprimorar uma postura? Muito vai da auto-observação, aonde quero obter mais espaço, pois só pode haver movimento se houver espaço. Como exemplo de uma torção, as melhores respirações são a média e alta, pois liberam espaço dentro do nosso corpo para se ter um movimento mais aprofundado. Os benefícios dos pranayamas são relativos a cada pessoa. Há pessoas que necessitam praticar um pranayama específico para ativar um aspecto em seu corpo, mente ou espírito e há outras que seria mais benéfico se utilizar de um pranayama diferente. Por isso é de máxima importância o indivíduo assumir uma atitude ativa perante a sua saúde tomando as rédeas de certos procedimentos que irão beneficiar seu organismo como um todo. Nós temos o poder de nos curarmos e a respiração é um meio para isso.
Há muitas técnicas de respiração para você experimentar sentindo-as em seu organismo. Pesquise em livros, vídeos e obtenha orientação com professores de Yoga, mas sempre procure perceber e sentir o seu limite e vá aumentando gradativamente o tempo e a intensidade. A respiração completa é uma forma de preencher o nosso organismo com um fluxo grande de ar, oxigenando as células, tecidos e tem função de acalmar, reduzindo a ansiedade. Essa respiração pode ser feita em qualquer lugar e nas posições em pé, sentado ou deitado. O procedimento dessa respiração é simples, mas é necessário ter consciência de que ela é dividida em três partes: baixa (no abdome), média (entre as costelas) e alta (peito e clavícula). Primeiro inspire focalizando sua atenção no abdome e vá preenchendo-o de ar subindo até as costelas, abrindo-as e continue inspirando subindo até o peito e clavículas. Faça uma contagem mental de cinco segundos na inspiração e cinco segundos na expiração para manter um ritmo. Faça para começar 8 respirações completas e depois respire normalmente e sinta como está o estado do seu corpo e mente. Provavelmente você estará mais relaxado e tranqüilo. Depois que você estiver mais acostumado com essa respiração procure fazê-la da maneira inversa. Primeiro preencha na inspiração a região alta, do peito e clavículas, vá descendo abrindo as costelas e termine na região do abdome. Continue com a contagem de 5 segundos na inspiração e na expiração. Com o tempo você pode aumentar os segundos da inspiração e da expiração. Leve em conta que esse avanço não será de um dia para o outro. É um processo de auto-conhecimento que inclui respeitar os seus limites, aceitar e honrar o ser que você é.

Um comentário:

  1. A qualidade consciente da oxigenação celular determina o ser físico e espiritual de uma entidade humana.

    ResponderExcluir