segunda-feira, 21 de junho de 2010

Alimentação como medicamento


Quando começamos a incorporar a idéia de que tudo o que colocamos dentro do nosso corpo serve como medicamento tudo fica mais claro, faz sentido. As relações surgem e percebemos uma consciência maior tomando partido, com mais responsabilidade e cuidado perante o nosso organismo. O nosso corpo é nosso templo e precisamos mantê-lo saudável para suportar os revezes da vida com desenvoltura e habilidade.

Segundo o Ayurveda, semelhante aumenta semelhante. Essa regra torna tudo bem fácil de entender o que desequilibra o nosso corpo, mente e espírito. Comecemos a entender os elementos: ar, éter, fogo, água e terra. Através dos elementos verificamos que nosso corpo é formado por eles e é preciso haver um equilíbrio entre eles para que o funcionamento do nosso templo seja harmônico e equilibrado.

As doses para esse equilíbrio podem ser sentidas e observadas por pessoas que estão em harmonia com o próprio corpo e conseguem identificar o que está em desequilíbrio. Mas hoje em dia a grande maioria das pessoas não possui essa conexão e dessa maneira sai em busca de medicamentos alopáticos, que passam em propagandas televisivas entregando a responsabilidade da sua própria saúde nas mãos de empresas farmacêuticas capitalistas, sendo que em muitos casos o remédio pode estar no seu próprio quintal ou na sua cozinha.

A sabedoria ancestral das nossas avós e bisavós e por ai vai..., é muito preciosa e responsável. Ao resgatarmos essa conexão com a TERRA, nossa Grande Mãe nutridora, conseguimos integrar o nosso ser nos centrando e nos responsabilizando pela nossa própria saúde.

No estudo dos doshas: Vata, Pitta e Kapha, de acordo com o Ayurveda encontramos diversas maneiras de equilibrio através de alimentação, rotina diária ( são cuidados específicos que devemos manter todos os dias incluindo na nossa rotina ), e procedimentos determinados para cada dosha, que incluem principalmente massagens e a prática de Yoga e pranayamas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário