quinta-feira, 23 de junho de 2016

Yoga como estilo de vida


Yoga é um estilo de vida. Sendo assim, nossas ações devem ser tomadas com consciência. O domínio das atitudes automáticas do dia-a-dia requer uma forma de pensar voltada a uma busca de auto-perfeição, autoconhecimento. O Yoga procura nos ensinar a condicionar nossa mente, para que ela não nos condicione, o objetivo é ir além. É preciso coragem para encarar as próprias sombras e se perceber, se observando em cada atitude, cada pensamento, cada emoção, cada movimento.

A definição da palavra Yoga significa união, integração, do nosso ser com a nossa essência que é Brahman, o absoluto, origem de toda consciência que evolui nesse mundo. Na verdade já estamos integrados e unidos, mas como vivemos em um universo dual, polarizado, sempre achamos que falta algo mais.

Para vivenciar o Yoga é preciso entender as leis do Dharma, caminho para a verdade superior. Ao seguirmos esse caminho alcançamos moksa, liberação, a cessação das encarnações. Esse caminho não é fácil. Diariamente somos bombardeados por desafios e situações onde facilmente podemos tropeçar e cair. Mas muitas vezes uma queda serve para nos mostrar e nos ensinar algo para não repetirmos os mesmos erros depois. No final, nada é por acaso.

O Yoga faz com que entremos em contato com a nossa parte desconhecida, que é a nossa essência. Por meio de trabalhos corporais, respiratórios, cantos, meditação, conduta dharmica, nos sentimos mais centrados e conectados com os ciclos de nossas vidas, da natureza, do planeta e do universo.

Vivemos uma fase planetária delicada que está nos forçando a retirar o véu da ilusão que encobre nossos olhos e corações para que enxerguemos a realidade maior que está se manifestando. Muitos paradigmas estão sendo derrubados e desmascarados para que novos possam vir à tona. A compaixão, a solidariedade, o amor por todos os seres e principalmente a verdadeira cura, onde aprendemos a ser responsáveis pelo nosso corpo, nossos pensamentos, emoções e doenças. Nós criamos nossas próprias doenças e precisamos nos responsabilizar por isso. Ao invés de jogarmos nossas vidas nas mãos de um médico, precisamos tomar as rédeas e conduzir tudo da melhor maneira, indo a fundo à raiz da doença e trabalhar nisso.

Cada doença e parte do corpo estão ligadas a um tipo de bloqueio energético relacionado a um sentimento, emoção ou atitude. Por isso a importância de nos observarmos e procurarmos nos responsabilizar pelas causas das nossas doenças e também pela cura das mesmas. Através da prática do Yoga e Ayurveda nos tornamos mais sensíveis a essa percepção. O Ayurveda, ciência da vida, nos ensina a desenvolver uma prática de rotina diária saudável, trabalhando a prevenção. Dessa maneira o indivíduo de torna responsável pela sua própria saúde.

Por ser o Yoga um estilo de vida, podemos ser yogues sem praticar posturas ou ásanas. Em contrapartida não adianta nada um indivíduo executar posturas complexas e avançadas e ser uma pessoa egoísta ou egocêntrica. Esse indivíduo nunca será um yogue. Ser yogue é estar integrado com si mesmo e com o todo ou pelo menos procurar estar.

É um trabalho de dedicação, se observar, se conduzir dentro do seu microcosmo pessoal, mas se cada um fizer sua parte surgirão reflexos no macrocosmo, é um movimento em cadeia. Por isso se cuide, se ame, se trabalhe, se conheça. O Yoga é somente uma ferramenta de autoconhecimento entre muitas outras que existem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário